top of page

PRONOMES

Atualizado: 5 de nov. de 2022




PRONOMES

É a palavra variável em gênero, número e pessoa que substitui ou acompanha o nome, indicando-o como pessoa do discurso.


AS PESSOAS DO DISCURSO


São três as pessoas do discurso:

1ª pessoa: aquele que fala, portanto o emissor.

São pronomes de primeira pessoa, entre outros: eu, nós, me, mim, comigo, conosco, meu, minha, nosso, nossa, este, esta, isto.


Tanto na fala quanto na escrita estão envolvidas três pessoas do discurso:

  • a 1ª pessoa: aquele que fala (eu, nós), o locutor;

  • a 2ª pessoa: aquele com quem se fala (tu, vós);

  • a 3ª pessoa: aquele de quem se fala (ele, ela, eles, elas), o assunto ou referente.



CLASSIFICAÇÃO DOS PRONOMES

Podem ser:

1. Pronome pessoal

2. Pronome possessivo

3. Pronome demonstrativo

4. Pronome relativo

5. Pronome indefinido

6. Pronome interrogativo


PRONOMES PESSOAIS

São aqueles que indicam as três pessoas do discurso.


PRONOMES PESSOAIS DO CASO RETO

NÚMERO

PESSOA

CASO RETO

Singular - 1ª - Eu

Singular - 2ª - Tu

Singular - 3ª - Ele, ela

Plural - 1ª - Nós

Plural - 2ª - Vós

plural - 3ª - Eles, elas


PRONOMES PESSOAIS DO CASO OBLÍQUO


NÚMERO - PESSOA - CASO RETO - CASO OBLÍQUO

Singular - 1ª - EU - Me, mim, comigo

Singular - 2ª - TU - Te, ti, contigo

Singular -3ª – ELE, ELA - Se, si, consigo, o, a lhe

Plural - 1ª - NÓS -Nos, conosco

Plural - 2ª - VÓS -Vos, convosco

plural - 3ª – ELES, ELAS - Se, si, consigo, os, as, lhes




PRONOMES DE TRATAMENTO

É empregado para nos dirigir a alguém, embora a concordância gramatical seja feita sempre com a terceira pessoa.

Os pronomes de tratamento, com exceção do pronome VOCÊ, são utilizados no tratamento cerimonioso e se escrevem com iniciais maiúsculas. Observe alguns exemplos de pronomes de tratamento:

PRONOME - ABREVIATURA - EMPREGO

Vossa Alteza - V. A. - Príncipes, duques

Vossa Eminência - V. Emª - Cardeiais

Vossa Excelência - V. Exª - Altas autoridades em geral

Vossa Magnificência - V. Magª - Reitores de universidades

Vossa Majestade - V. M. - Reis, imperadores

Vossa Reverendíssima - V. Revma - Sacerdotes em geral

Vossa Santidade - V. S. - Papas

Vossa Senhoria - V. Sa. - Funcionários graduados


São também pronomes de tratamento: o senhor, a senhora, você, vocês.

No Português do Brasil, VOCÊ e VOCÊS assumiram todas as características de pronome pessoal de 2ª pessoa, substituindo os pronomes TU e VÓS.


EMPREGO DOS PRONOMES PESSOAIS

1. Os pronomes pessoais do caso reto exercem a função de sujeito da oração. Já os pronomes pessoais do caso oblíquo exercem a função de complemento da oração. Logo, não se deve dizer: “Convidei ele”, e sim “Convidei-o”.

2. Os pronomes retos EU e TU não podem vir precedidos de preposição, exceto no caso de funcionarem como sujeito de um verbo no infinitivo. Assim, são consideradas erradas as seguintes construções:

Ninguém sairá sem eu. (INCORRETO)

Entre eu e tu, não há qualquer divergência. (INCORRETO)

CORRETO:

Ninguém sairá SEM MIM.

ENTRE MIM e TI, não há qualquer divergência.

3. São consideradas corretas as seguintes construções:

Emprestaram o dinheiro para EU pagar a despesa.

Deram o livro para TU leres.

Ninguém sairá sem EU autorizar.

Nesses casos EU e TU funcionam como sujeitos das orações.


EMPREGO DOS PRONOMES PESSOAIS (Continuação)

1. Os pronomes SE, SI e CONSIGO devem ser sempre empregados como pronomes reflexivos como nos seguintes exemplos:

Ela machucou-se.

Cada um faça o exercício por si.

O turista trazia o passaporte consigo.


É INCORRETO EMPREGAR AS EXPRESSÕES:

Maria, preciso falar consigo. (INCORRETO)

Querida, gosto muito de si. (INCORRETO)


2. Os pronomes oblíquos CONOSCO e CONVOSCO são normalmente usados nessa forma sintética.

Só se deve usar a forma analítica quando vierem reforçados.

Exemplos:

Eles saíram conosco.

OU

Eles saíram com nós todos.


3. Os pronomes oblíquos ME, TE, LHE, NOS e VOS podem aparecer combinados com os pronomes oblíquos O, A, OS, AS.

Exemplos:

me + os = mos

nos + o = no-lo

nos + as = no-las

vos + o = vo-lo

vos + as + vo-las


4. As formas de tratamento serão precedidas de VOSSA, quando nos dirigimos à pessoa representada pelo pronome e de SUA, quando fizermos referência a elas.

Observe:

_ Vossa Majestade parece preocupado com seus problemas.

Sua Santidade, o Papa, deverá visitar o Brasil.



COLOCAÇÃO PRONOMINAL


Os pronomes oblíquos átonos (o, a, os, as, lhe, lhes, me, te, se, nos, vos), como todos os outros monossílabos átonos, apoiam-se na tonicidade de alguma palavra próxima. Dessa forma, esses pronome podem ocupar três posições na oração. Elas são chamadas de:

1) PRÓCLISE

Quando o pronome oblíquo átono aparece antes do verbo.

Exemplo:

Nunca me revelaram os verdadeiros motivos.

2) MESÓCLISE

Quando o pronome oblíquo átono aparece no meio do verbo. Lembrando que isso só ocorre quando o verbo está no futuro do presente do indicativo ou no futuro do pretérito.

Exemplo:

Revelar-te-ei os verdadeiros motivos.

Revelar-me-iam os verdadeiros motivos.

3) ÊNCLISE

Quando o pronome oblíquo átono aparece depois do verbo.

Exemplo:

Revelaram-me os verdadeiros motivos.


PRONOMES POSSESSIVOS


São aqueles que dão ideia de posse com relação às pessoas do discurso.

Os pronomes possessivos concordam em gênero e número com a pessoa possuída e em pessoa com o possuidor.

Exemplo:

Conheço meu bairro.

Viste tua colega chegar?

Conhecemos muito bem nossos alunos.


Observe agora a relação dos PRONOMES POSSESSIVOS:

NÚMERO - PESSOA - PRONOMES POSSESSIVOS

Singular - 1ª - Meu, minha, meus, minhas

Singular - 2ª - Teu, tua, teus, tuas

Singular - 3ª - Seu, sua, seus, suas

Plural - 1ª - Nosso, nossa, nossos, nossas

Plural - 2ª - Vosso, vossa, vossos, vossas

plural - 3ª - Seu, sua, seus, suas


EMPREGO DOS PRONOMES POSSESSIVOS

1) Embora o pronome possessivo venha normalmente antes do nome a que se refere, nada impede que ele apareça depois do substantivo. Exemplo:

“E se isso lhe trouxer saudades minhas...” (Roberto Carlos e Erasmo Carlos)

Observação:

Pode causar alteração de sentido.

Recebi notícias suas. ( Isto é, notícias sobre você)

Recebi suas notícias. (Isto é, notícias transmitidas por você)

2) Ambiguidade: o emprego do pronome possessivo de terceira pessoa SEU e suas flexões podem causar duplo sentido em uma frase (ambiguidade). Para evitar, substitua SEU (e suas flexões) por DELE (e suas flexões).

Exemplo:

A ministra disse ao deputado que concordava com SUA nomeação.

Melhor:

A ministra disse ao deputado que concordava com a nomeação DELA.


PRONOMES DEMONSTRATIVOS

São aqueles que indicam a posição de algum ser em relação às pessoas do discurso, situando-o no tempo e/ou no espaço.


Observe:


1) Na indicação de LOCALIZAÇÃO NO ESPAÇO:

a) Os demonstrativos de primeira pessoa (ESTE, ESTA, ISTO) são utilizados para indicar que o ser está relativamente próximo à pessoa que fala.

Exemplo:

Este livro (que trago nas mãos) é um romance.

b) Os demonstrativos de segunda pessoa (ESSE, ESSA, ISSO) são utilizados para indicar que o ser está relativamente próximo à pessoa com quem se fala.

Exemplo:

Esse livro (que está com você) é um romance.

c) Os demonstrativos de terceira pessoa (AQUELE, AQUELA, AQUILO) são utilizados para indicar que o ser está relativamente distante dos dois interlocutores.

Exemplo:

Pablo, AQUELE livro (que está com o professor) é um romance.


2) Na indicação de LOCALIZAÇÃO NO TEMPO:


a) Os demonstrativos de primeira pessoa (ESTE, ESTA, ISTO) são utilizados para indicar TEMPO PRESENTE ou bastante próximo do momento em que se fala.

Exemplo:

Pretendo entrar na faculdade ainda ESTE ano.

b) Os demonstrativos de segunda pessoa (ESSE, ESSA, ISSO) são utilizados para indicar TEMPO PASSADO relativamente próximo ao momento em que se fala.

Exemplo:

No ano passado fui à Bahia. NESSE ano, pulei carnaval.

c) Os demonstrativos de terceira pessoa (AQUELE, AQUELA, AQUILO) são utilizados para indicar TEMPO PASSADO REMOTO ou bastante vago.

Exemplo:

Em 1950, a Copa do Mundo ocorreu no Brasil. NAQUELE ano, o Uruguai sagrou-se campeão.




3) Os pronomes demonstrativos também são utilizados com referência ao que ainda será falado, ou àquilo de que já se falou.

a) Os demonstrativos de primeira pessoa (ESTE, ESTA, ISTO) são utilizados com referência ÀQUILO DE QUE AINDA SE VAI FALAR.

Exemplo:

ESTAS são as alunas aprovadas: Lúcia, Maria e Sandra.


b) Os demonstrativos de segunda pessoa (ESSE, ESSA, ISSO) são utilizados com referência ÀQUILO QUE FOI FALADO.

Exemplo:

Lúcia, Maria e Sandra, ESSAS são as aprovadas.


d) Emprega-se ESTE em oposição a AQUELE quando se quer fazer referência a elementos já mencionados.

ESTE se refere ao mais próximo; AQUELE, ao mais distante.

Exemplo:

Matemática e Literatura são matérias que me agradam: ESTA me desenvolve a sensibilidade; AQUELA, o raciocínio.



PRONOMES RELATIVOS

São aqueles que retomam um termo expresso anteriormente, por isso mesmo chamado de ANTECEDENTE.

Exemplo:

Não vi os alunos que chegaram.

Observe que o pronome relativo QUE retoma o termo antecedente ALUNOS, introduzindo-o na oração seguinte.

Como saber se o QUE é um PRONOME RELATIVO?

Se for possível substituí-lo por O QUAL, A QUAL, OS QUAIS ou AS QUAIS.



SÃO PRONOMES RELATIVOS:

QUE (quando equivale a O QUAL e flexões)

QUEM (quando equivale a O QUAL e flexões)

ONDE (quando equivale a NO QUAL e flexões)

O QUAL, A QUAL, OS QUAIS, AS QUAIS

CUJO, CUJA, CUJOS, CUJAS

QUANTO, QUANTA, QUANTOS, QUANTAS


EMPREGO DOS PRONOMES RELATIVOS

1) O pronome relativo QUEM é empregado com relação a pessoas ou seres personificados e será sempre precedido de preposição.

Esta é a aluna A QUEM você quer bem.


Observação:

Há casos em que o pronome relativo QUEM é empregado sem antecedente claro. Quando isso ocorre, é classificado como RELATIVO INDEFINIDO e não vem precedido de preposição.

Exemplo:

QUEM casa quer casa.


2) O pronome relativo QUE tanto pode ser empregado com relação a coisas, quanto a pessoas.

Exemplos:

João é o aluno QUE mais faltou.

Não recolheram os papéis QUE sobraram.

3) O pronome relativo CUJO (e flexões) é empregado para dar ideia de posse.

Exemplo:

Este é o aluno CUJO pai lhe falei. (pai do aluno)


4) O pronome relativo QUANTO (e flexões) normalmente tem por antecedente os pronomes indefinidos TUDO, TANTAS etc.

Exemplo:

Falou TUDO QUANTO queria falar.



PRONOMES INDEFINIDOS

São aqueles que se referem à terceira pessoa do discurso quando considerada de modo impreciso, vago, genérico.


PRONOMES INDEFINIDOS

INVARIÁVEIS

Que, quem, alguém, ninguém, outrem, algo, tudo, nada, onde, cada

VARIÁVEIS

Algum, nenhum, todo, vário, outro, quanto, tanto, qual, certo, muito, pouco, qualquer, um

Exemplos:

ALGUÉM me roubou a carteira.

ALGO aconteceu naquela cidade.

EMPREGO DOS PRONOMES INDEFINIDOS

1) O pronome indefinido ALGUM, quando vier depois do nome a que se refere, assume valor negativo, equivalente a NENHUM.

Exemplo:

Computador ALGUM resolveria esse problema.

2) O pronome indefinido CADA deve ser sempre seguido de um substantivo ou numeral.

Exemplo:

Receberam dez livros CADA um.

3) CERTO é pronome indefinido quando vier antes do nome a que estiver se referindo. Se vier posposto ao nome, será adjetivo.

Exemplo.

CERTAS pessoas deveriam ocupar lugares CERTOS.

Pronome indefinido adjetivo


PRONOMES INTERROGATIVOS

São aqueles com os quais formulamos frases interrogativas diretas ou indiretas.

São os seguintes os pronomes interrogativos:

INVARIÁVEIS - Quem, que

VARIÁVEIS - qual, quais, quanto, quantos


Exemplos:

QUEM resolveu este exercício?

QUE você pretende fazer hoje?

QUAIS alunos saíram?

QUANTAS pessoas faltaram?


ATENÇÃO!

Os pronomes QUEM, QUE, QUAL e QUANTO só serão classificados como interrogativos quando aparecerem em frases interrogativas, caso contrário serão classificados como indefinidos.



QUAL A DIFERENÇA ENTRE O PRONOME ADJETIVO E O PRONOME SUBSTANTIVO?

1) Quando o pronome tem a função de substituir o substantivo será denominado PRONOME SUBSTANTIVO.

Exemplo:

No ano passado, ELE prestou serviço militar.

Sujeito da oração: Ele

Pronome substantivo: Ele


2) Quando o pronome acompanha o substantivo, ele exerce a função de adjetivo. Assim, será denominado PRONOME ADJETIVO.

Exemplo:

Pronome adjetivo

Aquele aluno estuda à noite.


Aquele aluno - Sujeito da oração

aluno - núcleo da oração

Aquele - pronome adjetivo



FONTE:

GRAMÁTICA, LITERATURA & REDAÇÃO, Ernani & Nicola, editora Scipione.


AGORA ASSISTA AOS VÍDEOS EXPLICATIVOS:











CONHEÇA MEUS CURSOS:

GRAMÁTICA DO ZERO

PACOTES DE CORREÇÕES - PARA QUEM JÁ PRATICA E QUER SEGURANÇA PARA O SEU CONCURSO




398 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page